A relação entre as mitocôndrias e flexibilidade metabólica

Atualizado: Mai 3

Quando falamos sobre a mitocôndria, essa é considerada a casa de energia celular devido ao seu papel na produção de ATP, sendo sua funcionalidade essencial para o bom funcionamento do metabolismo. Nesse sentido, podemos falar que a saúde mitocondrial será a chave para alcançarmos a flexibilidade metabólica.



Definindo flexibilidade metabólica

O conceito flexibilidade metabólica é descrito como a eficiência do metabolismo em utilizar diferentes substratos energéticos, como carboidratos, gorduras ou corpos cetônicos, de acordo com a sua disponibilidade e demanda energética, ou seja, é como os indivíduos conseguem se adaptar a diferentes cenários. Por outro lado, temos a inflexibilidade metabólica, que leva ao comprometimento do metabolismo devido a ineficiência na produção energética em certas situações. Como exemplo, podemos pensar naquele indivíduo que, quando fica algumas horas sem comer, acaba se sentindo estressado e desfocado, o que significa que suas mitocôndrias não estão conseguindo utilizar outros tipos de substrato além da glicose, visto que essa não está sendo fornecida pela dieta.


A saúde mitocondrial e a (in)flexibilidade metabólica

Como dito anteriormente, a saúde mitocondrial é essencial para obtermos a flexibilidade metabólica e, para isso, podemos otimizar sua função através da biogênese mitocondrial. Para entender melhor, esse é um processo que levará ao aumento do número e funcionalidade da organela, melhorando sua melhor função: a produção de energia. Logo, ao estimularmos a biogênese, teremos um melhor sistema mitocondrial capaz de se adaptar a diferentes demandas, utilizando assim diferentes substratos para a formação de ATP. Na experiência clínica, podemos observar vários benefícios quando há a melhora da utilização dos substratos, como respostas mais rápidas no processo de emagrecimento e melhor composição corporal.

Por outro lado, a disfunção dessa organela está relacionada com a inflexibilidade, onde há um acúmulo de espécies reativas de oxigênio e assim o estabelecimento de um estresse oxidativo. Por fim, quando esse estado metabólico se manter por um período prolongado, há o aumento do risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, como a Diabetes Mellitus Tipo 2.


Como promover a saúde mitocondrial

Finalizando, há algumas estratégias que podem ser utilizadas para promover a saúde mitocondrial, tanto através da ativação das vias de biogênese mitocondrial, quanto o reforço da defesa antioxidante para a neutralização de espécies reativas. Dentre essas estratégias, a prática de exercício físico e também a busca por uma alimentação equilibrada, rica em todos os nutrientes, como vitaminas, minerais, gorduras essenciais, entre outros, são fundamentais para a saúde mitocondrial.

Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, segue algumas sugestões de leitura:

Artigo:

Metabolic flexibility in health and disease

Mitochondrial biogenesis: An update

Nutrition, Bioenergetics, and Metabolic Syndrome


49 visualizações0 comentário