A suplementação de Ácido Alfa Lipóico para a saúde mitocondrial

Atualizado: Mai 3

Em termos de saúde, podemos incluir as mitocôndrias como uma das maiores influenciadoras. Nesse sentido, essa organela apresenta papéis essenciais para o bom funcionamento do organismo, como a produção de energia. Além disso, durante a própria geração de ATP, são formados subprodutos conhecidos como espécies reativas de oxigênio (EROs) que desempenham uma ação de sinalização fundamental para a proliferação e diferenciação celular, estando relacionado diretamente com o sistema imunológico.



Contudo, nem sempre essa produção de EROs acaba sendo benéfica, uma vez que a disfunção mitocondrial, devido a diversos fatores, como um mau estilo de vida, pode levar ao desequilíbrio entre a produção e neutralização, causando um estresse oxidativo. Mas por que precisamos neutralizar essas moléculas?


Conhecendo melhor as Espécies Reativas de Oxigênio

Durante a produção de ATP, são utilizadas moléculas de oxigênio para a finalização do processo, onde ocorre a formação de água, um subproduto da geração de energia. Entretanto, parte desse oxigênio (5%) pode ser desviado da via, recebendo um elétron e se tornando um radical livre. Assim, por apresentar um ou mais elétrons livres em sua última camada, essas espécies são consideradas reativas, sempre em busca de elétrons para se estabilizar. Portanto, diversas outras moléculas podem ser danificadas por perder elétrons, como proteínas, lipídios e o próprio DNA da célula.


Como resultado desse processo, teremos o estresse oxidativo citado anteriormente, levando ao aumento do risco de doenças crônicas como as cardiovasculares e a Diabetes Mellitus Tipo 2. Ademais, o aumento desse dano também está relacionado a diminuição da longevidade. Portanto, existe a necessidade de buscarmos estratégias que protejam nossas células, como é o caso do Ácido Alfa Lipóico.


A influência do Ácido Alfa Lipóico

Falando primeiramente sobre seu metabolismo, após ingerido e absorvido, o Ácido Alfa Lipóico é reduzido a Ácido Dihidrolipóico, que tem demonstrado ser um potente antioxidante. Nesse sentido, ele é conhecido como um forte agente redutor capaz de regenerar os principais antioxidantes fisiológicos, como a vitamina E e C, além da glutationa. Ademais, o Ácido Dihidrolipóico por si só pode levar a neutralização de radicais livres. Assim, a prescrição desse suplemento pode ser um coadjuvante principalmente para aqueles que objetivam a diminuição do estresse oxidativo, e promover o antienvelhecimento e desintoxicação.


Por fim, esse suplemento mostra-se benéfico em outras doenças, como a Diabetes Mellitus Tipo 2, atuando impedindo a glicação de da albumina, além de lutar contra a progressão da doença, evitando danos neurológicos e a catarata.


Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, segue algumas sugestões de leitura:

Artigo:

Reactive oxygen species and the free radical theory of aging

An introduction to free radical biochemistry

Alpha-lipoic acid: molecular mechanisms and therapeutic potential in diabetes

Alpha-Lipoic acid as a biological antioxidant


27 visualizações0 comentário