Aplicações clínicas da Coenzima Q10

A coenzima Q10 (CoQ10) é uma molécula orgânica semelhante a uma vitamina e pode ser sintetizada por quase todas as células humanas. Está geralmente presente nas membranas celulares e especialmente na mitocôndria nas formas reduzida (ubiquinol) e oxidada (ubiquinona).


Os níveis de CoQ10 são particularmente elevados no fígado, rim e coração, órgãos com alta atividade metabólica. Na verdade, a CoQ10 desempenha um papel fundamental no fornecimento de energia para todas as células e, principalmente, participando das reações redox na cadeia de transporte de elétrons no nível mitocondrial. Na verdade, essa molécula é um excelente transportador de elétrons capaz de suportar ciclos contínuos de oxidação-redução.


A CoQ10 pode vir da dieta (cerca de 5 mg /dia para uma dieta com padrão mediterrâneo). Os alimentos fonte de CoQ10 são peixes gordurosos (sardinha, cavalinha, arenque), soja, nozes e espinafre, porém sua ingestão pode não ser suficiente para atender às necessidades fisiológicas ou atuar em algumas condições patológicas, como doenças cardiovasculares e cerebrovasculares (por exemplo, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, enxaqueca, doença renal crônica e hipertensão), Doenças de Alzheimer (AD) e Parkinson (DP), distrofia muscular e até mesmo na fertilidade. Por esse motivo, a suplementação nutricional de CoQ10 pode ajudar a manter níveis adequados no corpo.


Outra aplicação da suplementação de CoQ10 é para atletas, especialmente aqueles que apresentam elevado volume de treinamento ou apresentam finalidade competitiva. Atletas de modalidades de endurance e treinos intensos intercalados podem ser beneficiados com o uso de CoQ10, pois são mais suscetíveis a um quadro de fadiga crônica, incluindo síndrome do overtraining, comprometendo assim seu desempenho.


Na verdade, é bem conhecido como o exercício intenso estimula as respostas inflamatórias, além disso, as espécies reativas de oxigênio (ROS) aumentam, levando ao estresse oxidativo. A inflamação e o estresse oxidativo podem contribuir para a síndrome de overtraining e fadiga crônica em atletas. Portanto, o uso de suplementação antioxidante é considerado uma estratégia para fortalecer as defesas durante o treinamento e a competição. As doses recomendadas para atletas variam de 100 a 300 mg/ dia ou 5mg/Kg/ dia.


As evidências clínicas suportam a suplementação com CoQ10 biodisponível ≥200 mg /dia, para doenças cardiovasculares, em particular, pacientes com insuficiência cardíaca e doença cardíaca coronária. Por outro lado, os dados relativos à sua suplementação em pessoas com câncer ou outras condições, incluindo glaucoma, infertilidade, enxaqueca e fadiga crônica variam bastante, mas as evidências mostram que todas essas condições podem ser beneficiadas com a suplementação de CoQ10.


Referência:

Testai L, Martelli A, Flori L, Cicero AFG, Colletti A. Coenzyme Q10: Clinical Applications beyond Cardiovascular Diseases. Nutrients. 2021 May 17;13(5):1697. doi: 10.3390/nu13051697. PMID: 34067632; PMCID: PMC8156424.


39 visualizações0 comentário