Como o Corebiome pode auxiliar a saúde intestinal?


Você provavelmente já ouviu falar que é importante incluir frutas, vegetais e alimentos integrais na dieta porque o consumo de fibras faz bem para o nosso intestino, certo? Dependendo do tipo de fibra - solúvel ou insolúvel -, são capazes de melhorar o movimento intestinal, aliviando quadros de constipação, e também podem ajudar na formação do bolo fecal, essencial no manejo da diarréia. Porém, no ambiente do intestino, os benefícios das fibras vão além.


Essas substâncias não são digeridas pelas nossas enzimas digestivas e assim acabam passando intactas por todo o trato intestinal, até chegarem à última porção, onde servem de “alimento” para as bactérias benéficas que residem ali. Quando essas bactérias usam as fibras, elas o fazem a partir de um processo de fermentação, ou seja, elas utilizam o que necessitam das fibras para manter seu metabolismo e aumentar em quantidade e, ao mesmo tempo, produzem um metabólito. O que é produzido é chamado de ácido graxo de cadeia curta.


Existem três tipos de ácidos graxos de cadeia curta: o butirato, o acetato e o propionato. Atualmente, o mais bem conhecido na literatura é o butirato. Depois que é produzido pelas bactérias, esse ácido graxo pode ser utilizado ali mesmo no ambiente intestinal ou ser absorvido e produzir efeitos metabólicos positivos em outros locais do corpo, sendo considerado como um pós-biótico. Hoje, já sabemos que o butirato:


  • Serve de fonte de energia para os colonócitos, células intestinais que são extremamente importantes na manutenção da integridade do intestino;

  • Aumenta o número de proteínas responsáveis por manter a barreira intestinal, como as ocludinas;

  • Apresenta atividade antimicrobiana, reduzindo o número de espécies patogênicas que causam disbiose;

  • Possui ação anti inflamatória, inibindo uma via que aumenta a quantidade de compostos inflamatórios no sangue;

  • Estimula a liberação de um hormônio (GLP-1) que melhora o metabolismo da glicose e a sensação de saciedade, fatores essenciais para a perda de peso e no manejo de condições como a diabetes.


O Corebiome é um produto inovador composto por tributirina, que são três moléculas de ácidos graxos ligados a uma unidade de glicerol. Nessa estrutura, o butirato consegue ser ingerido por via oral, passar pelo estômago e pelo intestino e chegar até os colonócitos de maneira eficaz. Ao atingir essas células, a tributirina é absorvida e é capaz de exercer os efeitos acima citados, atuando de maneira expressiva na melhora da saúde intestinal. Uma vantagem muito grande do Corebiome é que ele oferta as substâncias produzidas a partir da fermentação das fibras para aqueles indivíduos que não conseguem consumir fibras devido à alguma sensibilidade. Dessa forma, eles se beneficiam dos efeitos dos pós-bióticos, sem necessariamente terem que sofrer o desconforto que lhes causa o consumo de fibras.


De acordo com o protocolo utilizado, o Corebiome pode auxiliar no manejo de condições gastrointestinais como as Doenças Inflamatórias Intestinais (Doença de Crohn e Colite Ulcerativa), disbiose, diarréia, leaky gut e constipação e melhorar a composição da microbiota intestinal. Seu uso pode ainda auxiliar a fortalecer a imunidade e até otimizar o ganho de massa, visto que ambos estão diretamente relacionados à saúde intestinal!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Koh, A., De Vadder, F., Kovatcheva-Datchary, P., & Bäckhed, F. (2016). From Dietary Fiber to Host Physiology: Short-Chain Fatty Acids as Key Bacterial Metabolites. Cell, 165(6), 1332–1345. doi:10.1016/j.cell.2016.05.041


Ríos-Covián, D., Ruas-Madiedo, P., Margolles, A., Gueimonde, M., de los Reyes-Gavilán, C. G., & Salazar, N. (2016). Intestinal Short Chain Fatty Acids and their Link with Diet and Human Health. Frontiers in Microbiology, 7. doi:10.3389/fmicb.2016.00185


Lâmina Protocolo Corebiome


20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo