Como o Própolis pode ajudar no seu sono? Descubra!

Na natureza, algumas plantas produzem uma resina que tem a função de protegê-las de bactérias e fungos. As abelhas coletam essa resina e a misturam com enzimas apícolas, pólen e cera, formando a própolis. Múltiplas aplicações da própolis já foram descritas na literatura científica considerando suas propriedades antibacteriana, antifúngica, anti-inflamatória, imunomoduladora, antiviral e cicatrizante.


A própolis possui uma atividade antibacteriana classificada a partir de dois pontos. O primeiro ponto está relacionado aos efeitos diretos sobre os microrganismos, e o outro está relacionado à estimulação do sistema imunológico, ativando assim as defesas naturais do organismo. A análise do mecanismo da própolis permite inferir seus efeitos sobre a permeabilidade da membrana celular microbiana, ruptura do potencial de membrana, produção de trifosfato de adenosina (ATP) e redução da fluidez bacteriana.


De maneira geral, tem-se observado que a atividade antibacteriana da própolis contra as bactérias gram-positivas é maior do que a das gram-negativas. Isso é explicado pela estrutura espécie-específica da membrana externa das bactérias gram-negativas e pela produção de enzimas hidrolíticas que quebram os componentes ativos da própolis. Artepillin C (ácido 3,5-diisoprenil-p-cumárico) é um dos muitos compostos fenólicos (derivados de isopreno do ácido p-cumárico) encontrados na própolis.


Pesquisa realizada por Veiga et al., no Brasil. mostra que a concentração de artepilina C no extrato etanólico da própolis é superior à do extrato hexânico. Esses extratos também mostraram alta atividade antibacteriana contra Staphylococcus aureus. No estudo da bactéria anaeróbia Porphyromonas gingivalis, verificou-se que a artepilina C tem atividade antibacteriana das vesículas da membrana. O Artepillin C também demonstrou efeitos anti-inflamatórios para mediar a modulação do NF-κB e a inibição da prostaglandina E e do óxido nítrico.


Recentemente, a avaliação da atividade antibacteriana do extrato de própolis é baseada na determinação do teor de fenóis totais e flavonóides.


Se interessou pelo assunto? Leia o artigo completo!

Przybyłek I, Karpiński TM. Antibacterial Properties of Propolis. Molecules. 2019 May 29;24(11):2047. doi: 10.3390/molecules24112047. PMID: 31146392; PMCID: PMC6600457.


16 visualizações0 comentário