Coprológico funcional para uma prescrição mais assertiva


Um dos exames com melhor custo-benefício no mercado. O teste coprológico funcional pode auxiliar para que a prescrição de enzimas digestivas seja mais personalizada, sendo uma ferramenta muito útil para avaliar o que o paciente não está absorvendo, ou seja, qual substrato (carboidrato, proteína e gordura) não está sendo absorvido, fato que pode acontecer por dentre outros fatores, devido a deficiência enzimática.


As enzimas digestivas funcionam para dentre outras aplicabilidades, para a melhora do processo digestivo do seu paciente, pois tudo que "sobra" no intestino, seja devido a má mastigação ou a deficiência enzimática gástrica e/ou pancreática, pode aumentar a chance de disbiose intestinal, que pode ser conceituadas como a diminuição da alfa-diversidade e da riqueza das bactérias simbiontes e comensais, concomitante ao aumento da população de bactérias patobiontes. Consequentemente, os metabólitos originados por esses microrganismos, podem contribuir para a ocorrência das doenças metabólicas, como a obesidade, a resistência à insulina e as doenças cardiovasculares. No que se refere ao coprológico funcional, é um exame que avalia as fezes por meio dos seguintes parâmetros: cor, consistência, forma, cheiro, aspecto e corpos estranhos nas fezes. Ademais, microscopicamente podem ser avaliados os seguintes parâmetros: gorduras neutras; fibras musculares digeridas integralmente, parcialmente ou indigeridas; fibras vegetais digeríveis e indigeríveis; amido cru/amorfo; tecidos conjuntivos.


Outro ponto importante, é que haja a dosagem de amoníaco e de ácidos orgânicos totais ou ácidos de fermentação, como o ácido lático, acético, butírico, fórmico e succínico. A avaliação dos marcadores fecais é mais uma análise que se possível, pode auxiliar ainda mais a sua conduta clínica, nos quais os marcadores mais frequentemente analisados, são a calprotectina, zonulina, IgA secretória, lactoferrina e elastase pancreática.


Portanto, o teste coprológico funcional é uma ferramenta que a partir dos resultados do exame, pode indicar quais serão não apenas as enzimas digestivas mais adequadas para a sua prescrição magistral ao paciente, mas em quais pontos a sua conduta em nutrição com foco em saúde gastrointestinal, necessitará de mais atenção.


Referências bibliográficas

Jukic A, Bakiri L, Wagner EF, Tilg H, Adolph TE. Calprotectin: from biomarker to biological function. Gut. 2021 Oct;70(10):1978-1988. doi: 10.1136/gutjnl-2021-324855. Epub 2021 Jun 18.


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo