top of page

Estratégias para reduzir a retenção de líquido



A retenção de líquido está relacionada ao acúmulo exacerbado de líquidos nos tecidos corporais e pode ser ocasionada na maioria das vezes por alta ingestão de sódio, alterações hormonais na TPM, gravidez, utilização de medicamentos, alterações cardiovasculares, permanecer na mesma posição por muitas horas e não praticar atividade física, desencadeando assim os sintomas incômodos de inchaço, principalmente na região dos pés, braços, rosto, costas, mãos, pernas e abdômen. Mas, é importante ressaltar que a alta quantidade de toxinas no nosso organismo também pode promover a retenção hídrica, sendo necessário otimizar o processo de detoxificação.


Normalmente a retenção hídrica pode ser revertida através de condutas fáceis, como por exemplo o abrir e fechar das mãos, ficar de pé, elevar as pernas com o auxílio de um travesseiro ou abrir os braços. No entanto, se esse acúmulo de líquidos estiver relacionado alguma doença crônica tais como diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial, alterações reais ou outras doenças hepáticas, se faz necessário o acompanhamento médico, visto que geralmente ocorrera a utilização de medicamentos diuréticos que precisam de prescrição.


A ingestão de água é fundamental para evitar a retenção de líquidos, pois ela auxilia na eliminação de diversas toxinas do nosso organismo através da urina, além de colaborar de forma efetiva nas reações metabólicas e na melhoria da consistência das fezes. Quando o consumo de água está abaixo do recomendado, que deve ser no mínimo 2 litros de água por dia, o nosso sistema tende a reter a quantidade de água presente no corpo, fazendo com que o individuo urine menos e consequentemente acumule maior quantidade de toxinas, que pioram ainda mais o quadro de retenção hídrica. Por isso, além da percepção de inchaço, a colocação mais escura da urina também é um sinal para elevar a ingestão hídrica.


Nesse contexto, estar sempre com uma garrafinha de água por perto ou acrescentar frutas picadas para saborizar a água pode ser uma excelente opção para tem quem dificuldade de ingeri-la em quantidades adequadas. Além disso, o consumo de alguns tipos de chás com atividade diurética também pode ser uma ótima opção no combate a retenção de líquidos, dentre os mais comuns estão incluídos o de hibisco (Hibiscus sabdariffa L.), cavalinha (Equisetum arvense), alecrim (Rosmarinus officinalis L.), dente-de-leão (Taraxacum officinale), chapéu de couro (Echinodurus macrophyllus) e salsaparrilha (Smilax officinalis).


Esses chás além de aumentar a diurese também possuem componentes com propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias, detoxificantes e analgésicas, ou seja, além de ajudar na redução da retenção eles também atuam em outras questões metabólicas favorecendo o processo de maneira mais abrangente.


Outras estratégias que podem auxiliar na redução da retenção se dão através da prática regular de atividade física e cuidados com a alimentação, evitando o consumo excessivo de sal e alimentos ricos em sódio, açúcares, gorduras saturadas e alimentos ultraprocessados. Em contrapartida os alimentos in natura que são ricos em vitaminas, minerais e compostos bioativos podem auxiliar deforma significativa na retenção, como exemplo podem ser citados alguns alimentos ricos em potássio como banana, espinafre, abacate, melão, tomate e abóbora, visto que ele pode colaborar na excreção de sódio e no aumento da produção de urina. Os alimentos riscos em água também são uma excelente opção, como melancia, morango, melão, abacaxi e maçã.


Referências

Watson, F., & Austin, P. (2021). Physiology of human fluid balance. Anaesthesia & Intensive Care Medicine.

Lazzini et al. The effect of ginger (Zingiber officinalis) andartichoke (Cynara cardunculus) extract supplementation on gastric motility: a pilotrandomized study in healthy volunteers. European Review for Medical and Pharmacological Sciences2016; 20: 146-149.

Rakova, N., Kitada, K., Lerchl, K., Dahlmann, A., Birukov, A., Daub, S., ... & Titze, J. (2017). Increased salt consumption induces body water conservation and decreases fluid intake. The Journal of clinical investigation, 127(5), 1932-1943.

ANDRADE JM, et al. Rosmarinus officinalis L.: An update review of its phytochemistry and biological activity. Future Sci OA 2018;4:FSO283.

Banu, A. (2012). A Study to assess the Effectiveness of Hibiscus Tea in terms of Blood Pressure reduction among the Hypertensive patients in Idaikal Village, at Thirunelveli District (Doctoral dissertation, Sri. K. Ramachandran Naidu College of Nursing, Sankarankovil).

Craig, W. J. 13 The Therapeutic Use and Safety of Common Herbal Beverages. Beverages in Nutrition and Health, 187.

867 visualizações0 comentário
bottom of page