Etapas da detoxificação intestinal



O nosso intestino é um órgão que desempenha diversas funções importantes para o nosso metabolismo e ele apresenta em si uma comunidade de milhões de bactérias que constituem a nossa microbiota intestinal. Em situações em que essa microbiota é saudável, inúmeros benefícios são gerados. Em contrapartida, quando a microbiota está em estado de disbiose intestinal e menor quantidade de bactérias boas, diversos malefícios ocorrem.


Existem três formas distintas para combater as toxinas através do ambiente intestinal, sendo elas o sistema imunológico do intestino que também é conhecido como GALT (tecido linfoide associado ao intestino), a barreira da mucosa intestinal e a microbiota intestinal. Nesse sentido a microbiota intestinal pode alterar a absorção e metabolismo de algumas toxinas atuando como uma barreira física, modificando o pH e o equilíbrio oxidativo do intestino e a expressão de enzimas de desintoxicação ou proteínas envolvidas nesse metabolismo. Além disso, a integridade da barreira intestinal, que limita a absorção de toxinas, é muito dependente das interações microbiota-hospedeiro nas junções epiteliais e camadas mucosas do intestino.


Além disso, estão presentes na microvilosidades intestinais as enzimas da classe CYPP3A4 e elas são responsáveis por realizar o processo de detoxificação, estimulando a retirada de componentes tóxicos das células intestinais (enterócitos) para a luz do intestino. Ainda, existem mais alguns fatores além dos que já foram comentados que auxiliam na detoxificação, tais como a presença de secreções biliares e pancreáticas, ácido clorídrico e a motilidade intestinal.


O sistema intestinal como um todo é capaz de eliminar e combater diversas toxinas, desde adquiridas de forma externa como sintetizadas endogenamente. No entanto a presença de alguns tipos de metais pesados e substâncias nocivas podem alterar de forma significativa a composição da microbiota intestinal, fazendo com que ocorra prejuízo nos processos de digestão, absorção, excreção, menor biodisponibilidade de nutrientes, redução da imunidade e baixo potencial de detoxificação, podendo também afetar negativamente outros processos detoxificantes no organismo.


Alguns componentes como a berberina que é adquirida por extração do Rhizoma Coptidis (Coptis chinensis Franch), pode ser um elemento importante no auxílio ao combate as toxinas, visto que, ela já é muito utilizada para o tratamento de doenças do trato gastrointestinal devido ao seu efeito desintoxicante. Nesse contexto, estudos apontam que a berberina pode auxiliar na redução de lesões intestinais, elevar a função das tight junctions, otimizar a morfologia das microvilosidades intestinais e estimular a migração intestinal, ou seja, colaborando para saúde do intestino e desta forma melhorando as funções detoxificantes.


Além disso, a ingestão dietética de frutas, verduras e legumes é muito importante para esse processo, pois estes alimentos contêm vitaminas, minerais, aminoácidos e compostos bioativos, que são cofatores necessários para as reações de detoxificação e saúde intestinal, protegendo também contra o estresse oxidativo, inflamação e lesão mitocondrial induzida pelas toxinas. Mas, pensando em manter um intestino saudável para obter os efeitos benéficos do processo de detoxificação, é importante evitar o consumo de alimentos industrializados, ricos em açúcares e carboidratos refinados, gorduras saturadas e trans, adoçantes e agrotóxicos.

Referências

JUNE L. ROUND AND SARKIS K. MAZMANIAM. The gut microbiota shapes intestinal immune responses during health and disease. Vol. 9, 2009. DOI:10.10.38nri2515. Duan, H., Yu, L., Tian, F., Zhai, Q., Fan, L., & Chen, W. (2020). Gut microbiota: A target for heavy metal toxicity and a probiotic protective strategy. Science of The Total Environment, 742, 140429.

ZHANG, D., et al (2021). Berberine inhibits intestinal epithelial barrier dysfunction in colon caused by peritoneal dialysis fluid by improving cell migration. Journal of Ethnopharmacology, 264, 113206.

ZHANG, L; et al. (2020). Effects of Berberine on the Gastrointestinal Microbiota. Frontiers in Cellular and Infection Microbiology, 10.

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo