Zinco, selênio e cobre e seus impactos no sistema imune

Atualizado: Jul 20

O zinco afeta vários aspectos do sistema imunológico. O zinco é crucial para o desenvolvimento e função adequada das células mediadoras da imunidade inata, neutrófilos e células NK. Os macrófagos também são afetados pela deficiência de zinco.



A fagocitose, a morte intracelular e a produção de citocinas são afetadas pela deficiência de zinco. A deficiência de zinco afeta negativamente o crescimento e a função das células T e B. A capacidade do zinco de funcionar como um antioxidante e estabilizar as membranas sugere que ele tem um papel na prevenção de lesões induzidas por radicais livres durante processos inflamatórios.

O selênio é um micronutriente essencial que afeta vários aspectos da saúde humana, incluindo as respostas imunológicas. O selênio está envolvido na regulação do estresse oxidativo e outros processos celulares cruciais em quase todos os tecidos e tipos de células, incluindo aqueles envolvidos nas respostas imunes inatas e adaptativas. Este antioxidante ajuda a diminuir o estresse oxidativo no corpo, o que reduz a inflamação e aumenta a imunidade.


O cobre é importante para diversas questões de saúde, incluindo o sistema imune. O cobre é também importante e melhora a biodisponibilidade e absorção de vitamina C.


Além disso, a ação antioxidante do cobre também contribui de forma positiva para o sistema imunológico. A deficiência de cobre, em geral, reduz as concentrações de neutrófilos e isso leva a redução da eficácia da resposta imunológica adquirida. E estudos mostram que, a síntese e proliferação de células T também é reduzida quando existe deficiência de cobre.


114 visualizações0 comentário