Veja como a saúde mitocondrial está associada à saúde e doença

Atualizado: Mai 3

Associar a mitocôndria com a saúde é uma tarefa muito fácil pois é só observar todas as funções que essa desempenha, principalmente em relação a produção de ATP via fosforilação oxidativa, visto que o metabolismo depende dessa energia para executar suas funções. Além disso, durante a própria cadeia respiratória são formadas espécies reativas de oxigênio (EROs) como subproduto que, em níveis baixos, desencadeiam respostas fisiológicas saudáveis, ativando vias de resistência ao estresse, proliferação e diferenciação celular, contribuindo principalmente para o sistema imunológico.


Disfunção mitocondrial e a saúde metabólica

Por outro lado, diversos estímulos podem levar à disfunção da mitocôndria, sendo um reflexo do estilo de vida do indivíduo com estresse crônico, diminuição da atividade física, fumo, redução de horas de sono e má alimentação. Nesse cenário, a disfunção da organela resulta no desequilíbrio entre a produção e neutralização de EROs, levando ao estresse oxidativo. Assim, esse processo promoverá também o desenvolvimento da inflamação crônica, tanto pelo aumento de EROs quanto pelo dano mitocondrial gerado pelos radicais livres. Por fim, teremos a redução da produção de ATP e diminuição do metabolismo geral da célula, com o comprometimento do nosso metabolismo.


O aparecimento de doenças crônicas

Assim, com a disfunção mitocondrial e o estabelecimento do estresse oxidativo e inflamação crônica, diversas vias são afetadas. Nesse contexto, graças a redução da resposta a insulina é estabelecido a hiperglicemia, aumentando o risco de desenvolver Diabetes Mellitus Tipo 2. Ademais, o excesso de EROs está relacionada a redução da oxidação lipídica, levando a hipertrigliceridemia, que por sua vez promove aumento da adiposidade visceral, elevando o risco de doenças cardiovasculares. Para finalizar, vale ressaltar que a disfunção dessa organela também está relacionada com o aparecimento de câncer, visto que EROs são bastante reativas capazes de modificar moléculas ao seu redor como o DNA celular.


E como podemos cuidar da nossa mitocôndria?

Para alcançarmos a melhoria da eficiência mitocondrial, precisamos estimular o processo de biogênese que resultará no aumento do número e funcionalidade da organela e, para isso, podemos adotar algumas mudanças alimentares. Dentre essas, destaca-se a busca por uma ingestão de vitaminas e minerais equilibradas, principalmente por serem utilizadas nos processos metabólicos mitocondriais. Além disso, o consumo de compostos ativos com potencial antioxidante, como o resveratrol e catequinas, pode exercer a proteção contra o estresse oxidativo.

Para um estudo mais aprofundado sobre o tema, segue algumas sugestões de leitura:

Artigo:

Nutrition, Bioenergetics, and Metabolic Syndrome

Mitochondrial dysfunction and oxidative stress in metabolic disorders - A step towards mitochondria based therapeutic strategies

Functional Mitochondria in Health and Disease


18 visualizações0 comentário